Bem Vindo, Hoje é Sexta-feira - 17 de Agosto de 2018
Home Ouvidoria Contato
Notícias
Alunos de Gaúcha do Norte recebem palestra sobre a campanha de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes
Tema foi abordado para pouco mais de 380 crianças e adolescentes entre 8 e 17 anos de idade
Publicado por Cely Trevisan em 10/05/2018 09:00

Foto Por: Cely Trevisan

Três dias de palestras renderam muita informação e alertas disseminados para os alunos do 4° Ano do Ensino Fundamental ao 3° Ano do Ensino Médio da escola estadual Gervásio dos Santos Costa, em Gaúcha do Norte. O tema abordado remete ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, vivenciado em 18 de Maio e abrangeu pouco mais de 380 crianças e adolescentes entre 8 e 17 anos de idade.

Com a abordagem ‘Marcas para a vida toda’ a campanha foi desenvolvida pela secretaria municipal de Saúde através da assistente social Rosiner Lobilein e da psicóloga Michele Pancotte da academia da saúde Loida Feroldi, entre os dias 07 e 09 de maio de 2018, e contou com a parceria do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e da secretaria de Assistência Social. 

Nas palestras foram retratados os tipos de violência entre elas estão: a violência moral, psicológica, física, patrimonial, abuso sexual, exploração sexual e negligência. As consequências físicas, comportamentais, emocionais, sexuais e sociais a curto e longo prazo do abuso infantil também foram abordadas.

Para as profissionais, a conscientização é fundamental, “quanto mais a gente conscientizar os alunos de quais são as formas dos abusos e tipos de violência, mais eles vão saber se prevenir e até mesmo pedir orientação quando necessário. Pois, na maioria dos casos onde acontece o abuso e que se prolonga é porque há negligência. Falamos das consequências, do quanto é importante eles estarem conversando com alguém que pode ajudar, que temos uma ética profissional, então eles não precisam ter medo de contar e nós poderemos ajuda-los e não deixar que isso continue na casa deles ou na casa do colega. Assim, quanto mais informação essas crianças e adolescentes tiverem, menos riscos eles vão correr e menos violência eles vão sofrer”, apontaram as palestrantes.

Sobre o aproveitamento dos alunos, a assistente social e a psicóloga afirmaram, “da forma que trabalhamos a campanha este ano, percorrendo sala por sala, tendo um contato mais direto com os alunos e podendo observar cada um, acreditamos que atingimos 90%  em relação ao ano anterior onde foi promovido apenas um momento para todos os alunos da escola. Como esse ano o trabalho foi individualizado por sala, entregando panfletos e fazendo a leitura juntos, a memorização é melhor e os alunos prestaram atenção, pois logo no início frisamos que após a palestra seria realizada uma atividade”, disseram.

Em algumas salas, o assunto gerou discussões e os alunos tiveram a oportunidade de expor suas opiniões, “foi bem gratificante as discussões, pois isto demonstrou para nós enquanto profissionais que a gente soube expor o assunto de uma forma tranquila e agradável para eles”, comentou a psicóloga.

Durante as falas, o comportamento de cada aluno pode ser observado. “Dentro da sala conseguimos conhecer melhor cada aluno, pudemos observar que alguns se comoveram e perante o seu comportamento tivemos a percepção que podem ter sofrido algum tipo de violência ou que podem ter visto algum fato ligado a isso, então esses alunos vão ser trabalhados”, finalizaram as profissionais.

Os alunos irão confeccionar cartazes sobre o tema que serão apresentados na caminhada que acontece no dia 18 de maio e posteriormente fixados no comércio local. Já com as turmas do 4° e 5° Ano, foi trabalhada a flor que representa a campanha e que remete a primeira infância. Os aluninhos receberam a flor para colorir e levar para a caminhada, essas flores serão colocadas na rotatória das avenidas Brasil e 13 de Julho e ficarão expostas para chamar a atenção da sociedade sobre a campanha.

CAMINHADA

No dia 18 de maio acontece uma caminhada com saída às 7h30 em frente a escola Gervásio dos Santos Costa, toda população está convidada a participar.

18 de Maio

No dia 18 de maio de 1973, ficou instituído como o ‘Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes’ a parir da aprovação da Lei Federal n° 9.970/2000.

O ‘Caso Araceli’ como ficou conhecido, ocorreu há mais de 40 anos, mas infelizmente situações absurdas como essa ainda se repetem.

Araceli Crespo tinha 8 anos de idade quando foi drogada, espancada, estuprada, e assassinada. Os suspeitos de envolvimento no assassinato pertenciam a famílias importantes do Estado do Espírito Santo. Os assassinos jamais pagaram por seu crime brutal.

A morte de Araceli serviu de alerta para toda a sociedade brasileira, expondo a realidade de violências cometidas contra crianças. Pela brutalidade, a data do assassinato tornou-se um símbolo da luta contra essa violação de direitos humanos. Em 1998, por iniciativa de cerca de entidades públicas e privadas, reunidas na Bahia, foi instituído o dia 18 de Maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.


A aluna Letícia Nunes Bernini do 3° Ano do Ensino Médio, fala sobre o a campanha de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, trabalhado no âmbito escolar.

 

 





Fonte: Assessoria de Imprensa - Governo Sério e Justo

Prefeitura Municipal de Gaúcha do Norte

Endereço: Rua Pará esquina com Rua Brasília, N° 1041 - Centro

Expediente: 7 às 11 horas e das 13 às 17 horas

CEP: 78875-000 - Fone: (66) 3582-1135/1679

E-mail: prefgnt@yahoo.com.br

Copyright © 2018 Gaúcha do Norte. Todos os direitos reservados